logo
Post view

A nossa 1ª vez com um single masculino

Estamos juntos ha mais de 7 anos, se existe essa “coisa” a que chamam almas gémeas, sentimos verdadeira e reciprocamente que encontrámos a nossa; eu nela e ela em mim. 

Temos uma relação de grande empatia, cumplicidade, totalmente transparente, sem filtros, com muito amor e uma enorme vontade de vivermos a nossa vida em pleno a todos os níveis. 
Para nós a sexualidade é algo com tanto de natural como de fundamental para manter a chama, para encontrarmos o prazer, para dar e receber, para podermos explorar as nossas fantasias e desejos. 

Sempre falamos abertamente sobre a possibilidade de podermos partilhar a nossa intimidade com algumas pessoas com quem nos identificássemos e que nos despertassem curiosidade, empatia e obviamente algum tipo de química. 

Para nós, a ideia de partilha aumenta os níveis de adrenalina, excitação e tesão, é quase como se fosse um condimento bem picante na nossa relação ( e ambos somos fans, gostamos de picante!) 

Depois de umas brincadeiras e aventuras com singles femininas, que correram sempre bem e nos deixaram com a vontade de repetir a experiência, começamos a ponderar a possibilidade de nos encontrarmos com um casal. 

Inscrevemo-nos em 2 sites de adultos para swingers, tirámos umas fotos e escrevemos um perfil que basicamente descrevia quem éramos, o que procurávamos e o perfil de pessoas que gostávamos de encontrar. 

Depois de nos encontrarmos com alguns casais para nos conhecermos, de conversarmos, bebermos uns copos, percebemos que no nosso caso, faria mais sentido encontrarmos um single masculino com quem nos identificássemos do que um casal, além disso, como já tínhamos estado com singles femininas pareceu-nos que talvez fosse esse o nosso caminho. 

Estar com outro homem em simultâneo era uma fantasia dela praticamente desde a adolescência e para mim a ideia de a ver ter prazer com outro homem também me agradava. 
Gostava e gosto da ideia de a olhar nos olhos enquanto era/é penetrada, ou fazia/faz sexo oral, de ver o prazer nos olhos dela, de a ver morder os lábios ou gemer de desejo enquanto estava/está com outro homem. 

Como ela não gosta de chats, combinámos que seria eu quem faria uma primeira triagem de perfis que se identificassem com a nossa forma de ser e estar e depois em conjunto decidíamos quem gostaríamos de conhecer. 

A única condição para a S. seria a de que havendo interesse em avançar, nos encontraríamos sempre num clube de swing. 
Já tínhamos estado 4 ou 5 vezes e o próprio ambiente, as luzes, a música, o poder beber uns copos e relaxar eram o ambiente propicio para ela se sentir mais confortável com a situação. 

Assim foi, falei com alguns potenciais “candidatos” e selecionei 3 que se enquadravam no perfil que queríamos encontrar. 

O primeiro acabou por ser uma desilusão, depois de ter explicado que o primeiro encontro seria apenas para nos conhecermos os 3, revelou-se uma pessoa totalmente diferente da que tinha mostrado ser, não perdemos muito tempo e descartámos logo qualquer possibilidade de um futuro encontro. 

Encontramos uma segunda pessoa, fisicamente muito atraente aos olhos dela mas que apesar de todo o entusiasmo que demonstrava, não estava pronto “psicologicamente” para estar connosco ) 

Foi então que conhecemos o nosso “amigo” num chat, a conversa com ele fluiu sempre de uma forma natural e basicamente procurávamos o mesmo tipo de experiência , partilhávamos a mesma forma de pensar e fisicamente ele correspondia em pleno ao que a S. gostava de encontrar noutro homem. 

Encontrámo-nos para nos conhecermos (os 3) num bar algures nas docas numa noite de Inverno, houve empatia de parte a parte e fisicamente a S. estava surpreendida pela positiva ao vivo o nosso “amigo” ainda tinha mais charme, dizia ela sorridente. 
Era (é  um tipo discreto, fisicamente atraente, bem disposto, nada complicado, simpático e uma pessoa com quem podemos conversar abertamente sobre o que nos excitava e gostávamos. 

Voltámos para casa com a quase certeza que seria com ele que teríamos a nossa 1ª experiência com um “single" masculino. 

Passaram-se algumas semanas, íamos falando de vez em quando mas por uma razão ou outra nunca se proporcionou encontrarmo-nos uma segunda vez até que um dia, ao vê-lo on-line lhe disse “ e então vamos beber um copo …? ” 

Aceitou o convite e combinámo-nos encontrar num clube na noite seguinte. 

No dia seguinte, à medida que a hora para nos encontrarmos se aproximava a S. estava cada vez mais curiosa e com alguma ansiosidade que o momento chegasse. 

Tomou um duche, secou o cabelo comprido, escolheu um vestido justo, um par de sapatos altos (que do alto do seu 1.74 a “atiram” para mais de 1.80 de mulher) e perfumada, depois de beber 2 copos de vinho tinto alentejano, disse-me com um sorriso estampado na cara: “estou pronta! Vamos?” 

Ainda trocámos mensagem a confirmar a disponibilidade de todos e saímos de casa. 
Em pouco mais de meia hora encontrámo-nos à porta do dito clube, já tinham passado uns meses desde a ultima vez, enquanto estacionávamos o carro confidenciou-me que estava contente de o rever. 

Depois de entrarmos e uma vez que para ele era a primeira vez , teve direito a que alguém lhe mostrasse as várias áreas da casa, como nós 2 também só lá tínhamos estado uma vez e algumas alterações tinham sido feitas, a proprietária sugeriu-nos que fossemos os três. Assim foi, depois de entramos , percorremos as várias zonas existentes; o quarto escuro, sala de cinema, glory holes, além dos vários quartos existentes. 

Era ainda relativamente cedo pelo que nenhum dos espaços estava ocupado. 

Descemos, novamente ao piso onde está a pista de dança e o bar, já estavam alguns casais pelo bar enquanto a música tocava, sentámo-nos confortavelmente e enquanto cada um bebia um copo falávamos de vários assuntos para quebrar o gelo. 

A certa altura falámos das expectativas que cada um tinha para aquela noite, apesar de alguma ansiedade, era evidente que todos tínhamos vontade que fosse uma noite que ficasse na nossa memória, para ele por ser a 1ª noite com um casal e viver uma situação cuckold , para nós por ser a 1ª vez que estávamos com um single masculino. 

O tempo ia passando e enquanto a S. terminava o 3º Gin sugeri que subíssemos ao piso de cima, dito e feito, depois do ultimo gole em "estilo pénalti " subimos os 3, como todos os quartos ainda estavam livres optei por um mais espaçoso e com casa de banho. 

Fechei a porta e depois de uns breves instantes em que sorrindo estávamos todos em silêncio, trocando olhares, puxei a S. contra mim, toquei-lhe e beijei-a com desejo enquanto o F. nos olhava, depois disse-lhe que seria justo ela dar a mesma oportunidade a ele para que também pudesse provar um beijo. 

Concordando e sorrindo, virou-me as costas e beijaram-se pela primeira vez com vontade enquanto eu a ia acariciando e mordiscando o seu pescoço e com as mãos percorrendo as curvas do seu corpo. 

Rapidamente as coisas avançaram, com os 3 de pé ( a S entre nós) o F. fez descair-lhe o vestido, que ela trazia abaixo da linha das mamas, vi o nosso amigo tocar e apalpar-lhe primeiro e depois lambê-las e chupá-las com gosto e muito desejo, eu ia percorrendo com as minhas mãos o corpo da S. já bem excitada com aquela situação totalmente nova para nós. 

Estava a acariciá-la, quando o F. agarrou-lhe numa das mãos e fez com que ela sentisse por cima das suas calças o seu pau já bem teso de desejo. 
Embora a luz no quarto fosse ténue todos tínhamos a possibilidade de ver o que se ia passando. 

Entre alguns gemidos de parte a parte e já completamente solta, com o desejo e vontade de sentir aquele pau a latejar na sua boca, bateu-lhe uma punheta enquanto com a sua boca o ia lambendo e chupando com prazer. 

Para mim era a primeira vez que estava a ver a minha mulher a fazer um broche a outro tipo, a cena deixou-me excitado e com vontade que aquele momento durasse durasse durasse   ! ela continuou a chupá-lo com gosto e ia intercalando a língua com uma punheta, ele gemendo de prazer e agarrando-lhe no cabelo dizia-lhe "issssooooo!!" 

O tempo passa e depois de estarmos de pé, optamos por nos sentar e deitar na cama do quarto, enquanto ela continua a chupá-lo eu opto por lamber e chupá-la como ela gosta ao mesmo tempo vou enfiando os meus dedos no seu sexo húmido. 
A vontade era tanta que nem sequer a roupa despimos, como ela não tinha levado qualquer tipo de lingerie, apenas um vestido colado ao corpo, bastou subir o vestido para poder lamber e provar aquela cona a latejar de prazer. 

Estivemos assim, com mãos e línguas por todo o lado, sem espaços para conversas apenas a desfrutar do momento, ás tantas quando se estava quase a vir ela pede-me que pare, ainda não era o momento. 

Várias pessoas vão entretanto batendo à porta na expectativa de poderem entrar mas não era isso que definitivamente queríamos e sentíamos o crescendo do nosso crescendo desejo e tesão. 

O F. pergunta-me se tenho preservativos, respondo afirmativamente mas entretanto ele encontra um cesto com vários em cima de uma mesa no quarto, enquanto se prepara para fodê-la, eu beijo-a com vontade e vou brincando com os bicos das suas mamas na ponta dos meus dedos, estão rijos e tesos como nunca, ela olha-me num misto de prazer e tesão e ele levanta-lhe as pernas, encosta-se a ela e enfia-lhe o seu pau grande e teso, que a preenche com vigor. 

Num vai e vem ritmado, ela vai-se contorcendo e gemendo , olhando para mim, morde os lábios e geme mais alto sempre que recebe uma estocada mais vigorosa. 

Gosto de ver e sentir a minha mulher a ser bem fodida, comigo ao lado ( pedido que ela me havia feito para quando chegasse o dia   . 
A temperatura no quarto vai subindo, enquanto ele continua a penetrá-la, vou beijando-a,passando as minhas mãos nas suas mamas duras e sentido a sua respiração ofegante colada a mim. 

O vai e vem continua cada vez mais intenso e ela agarra-me nas mãos com força como que a pedir "ajuda" adoro senti-la e vê-la a ter prazer, muito mais do que imaginava! 
O F. continua a fodê-la com vontade, a cada estocada ela aperta-me mais, vai alternando o olhar entre mim e ele, que tesão! …. o nosso amigo acaba por se vir, enquanto eu continuo a tocar-lhe … ficamos ali os 3 satisfeitos , trocam-se caricias e beijos. 

Ás tantas o F. sugere " vamos beber um copo?" decidimos descer ao bar, para beber mais um copo e repousar o corpo, acabamos por decidir que naquele dia vamos ficar por ali, vamos falando de como nos sentimos e do que gostámos. 

Falamos na possibilidade de explorarmos outras fantasias noutros lugares diferentes, todos temos a sensação que uma próxima oportunidade poderá ser ainda melhor, muito melhor e mais intenso!Para uma primeira vez, para cada um de nós, foi algo que superou as nossas expectativas (minhas e da S.) acabou por ser algo de muito natural e que se passou como se ja nos conhecêssemos os 3 há mais tempo. 

Beijo a S. e sorrindo pergunto-lhe “como te sentes?” adorei respondeu-me ao ouvido, enquanto bebemos o ultimo copo, F. sorri para nós e ela vira-se para o nosso amigo e beija-o novamente. 

Despedimo-nos e arrancamos para casa, no carro em conversa diz-me: 
“ hummmmm adorei, gostei e superou as minhas expectativas!senti-me mesmo muito confortável com vocês dois!! " 

Ambos achamos que dificilmente teríamos encontrado alguém melhor que o F. para a nossa 1ª vez ….fui conduzindo enquanto íamos falando da experiência, mesmo a chegar a casa diz-me “ e agora prepara-te que quando chegarmos a casa és tu!! ” rimos os dois... a noite acabou por se prolongar e foi muito prazerosa   

Em jeito de conclusão: 
Não fazemos vida disto mas a vida também é feita destes momentos especiais, que nos dão mais adrenalina e tesão. Quando as relações são verdadeiras e transparentes estes momentos apimentam ainda mais aquilo que vivemos a dois, além disso, os momentos especiais que vivermos hoje vão ser sempre as boas recordações de amanhã!

samy 02.04.2019 4
Comments
Order by:
Per page:
 
Post info
flag samy

Lisboa

 51  47
02.04.2019 (202 days ago)
Rate
2 votes
Actions
Categories
Entertainment Blogs (1 posts)
Tags
Empty