logo
Post view

Manual para Casais Complicados

“Olá a todos! Somos um casal jovem. Somos comunicativos, extrovertidos, asseados, simpáticos e sabemos bem o que queremos alcançar com este meio. Temos uma relação muito sólida e longa, não gostamos de casais complicados”!...

Pára tudo! Ia tudo tão bem, enquanto líamos isto, e de repente somos informados de que existem casais complicados, sem saber muito bem o que são estas coisas. Mas não devem ser lá grande espada, para não se gostar! Fomos investigar…

Antes, acabamos de ler o resto do texto: “Vemos este meio como a possibelidade de trocar experiências agradáveis e passar bons momentos!”

Os textos raramente terminam aqui. Quase sempre continuam com mais algumas pérolas de poesia e literatura e com pedradas iguais à “possibelidade“, deixada de propósito no “copy-paste”… Mas já agora: Casais Complicados?! Ninguém deve gostar! De uma vez por todas que fique bem entendido. E nós Anjos detestamos completamente complicações!

Nota mental: ficamos sem saber se os bons momentos são impossíveis com casais complicados e se simplesmente não gostam de bons momentos, os casais complicados!

Nova nota mental: se não gostam de casais complicados, presumindo que gostam deles mesmo, vamos também presumir que não são complicados. Assim sendo…

 

1ª Parte – Desconstrução de um casal descomplicado.

 

A) Casal jovem. Isso pode ser mau… claro que também não sabemos o que é ser jovem. Tendo em linha de conta que uma pessoa velha está toda encarquilhada, logo não é lá grande coisa à vista e tem muito pouco apetite sexual, para viajar neste comboio se calhar tem de se ser jovem. Pelo menos de espirito. Conclusão: é bom ser jovem!

 

Terceira nota mental: começamos a perceber que não sabemos lá grande coisa e temos medo que seja por não sermos jovens. Ou então somos (ao contrário do que pensávamos) uns Anjos muito complicados! Avançando…

 

B) Comunicativos. Está-se mesmo a ver que quem não for de falar muito está lixado. Ou quem não tiver meios de comunicação! Mas se não tiver um qualquer megafone high-tech também não se pode ligar ao resto do mundinho que gosta de loucuras… - E pensar que os doidinhos swingers de há uns anos, sem computadores e telefones móveis, tinham de comunicar por carta em anúncios de jornais… - Por outro lado falar muito poder ser complicativo. Para quê falar quando dois, ou mais casais se encontram para trocarem momentos bons e experiencias agradáveis? A ideia é: “olá”, “olá”, “vamos?”, “vamos!”. Claro que se respondemos “vamos lá passar bons momentos e trocar experiências muito agradáveis” podemos passar por complicados e pôr tudo a perder. Conclusão: é complicado ser demais ou de menos comunicativo.

C) Extrovertidos. Extrovertido. Nome masculino. Da psicologia: tipo psicológico cuja energia está predominantemente orientada para o exterior; extravertido. Pessoa sociável e desinibida. Adjectivo: que é sociável e comunicativo. Conclusão: se fores muito extrovertido pode ser como a contra produção do comunicativo!

D) Asseados. Podemos concluir, tendo em linha de conta o que foi escrito antes, que os casais complicados não devem ser lá muito asseados. Conclusão: é complicado não se ser asseado.

Quarta nota mental: fazer camisolas onde dizemos que até suportamos casais um bocadinho complicados, logo que sejam asseados! Ser asseado não é importante, é MUITO IMPORTANTE.

E) Simpáticos. Nós não gostamos de sadomasoquismo. E há pessoas bem simpáticas que adoram. Nós achamos que pessoas simpáticas amantes do sadomasoquismo não são lá muito simpáticas no sexo. E haverá pessoas que são muito boas em momentos de sexo e não sejam lá muito simpáticas. Há de certeza pessoas que só são simpáticas para terem sexo. Mas casais complicados, por aposição, não são simpáticos. Conclusão: sejam simpáticos! Quanto mais não seja, só por simpatia.

F) Saber muito bem o que se quer conseguir com este meio. Esperemos que seja sexo e do bom. Porque, cá os Anjos, além da possibilidade de conhecer boa gente (que nunca é demais), queremos sexo! E do bom! E com isso vivermos bons momentos… Esta ideia levanta, no entanto, a questão de que se podem obter mais coisas com este meio. O que pode fazer de nós um casal complicado, porque não sabemos muito bem o que é (recordo que nós não sabemos lá grande coisa). Dinheiro - que é bom também - não nos parece. Ainda pensamos em abrir uma garagem, com uma bola de espelhos, pouca luz, música alta e cobrar um bilhete pela entrada e oferecer um papel onde se sugeria que se apalpasse à maluca a pessoa ao lado. Mas chegamos à conclusão que dá muito trabalho e pouco dinheiro e que quando nos perguntarem se sabemos bem o que queremos neste meio, é menos complicado responder que sim e ficar por aqui.

G) Ter uma relação sólida e longa. Chega a eternidade construída no céu?

2ª Parte – As Complicações.

 

A) Pessoas que não podem quando nós queremos e podemos. Claro que só para complicar vão poder e querer quando nós não podemos. Ou não queremos! Se isto não é complicar…

B) Podem ser apenas pessoas que gostam de complicar. Desde tenra idade que, só para chatear, gostam de complicar tudo o que parece simples e de complicar ainda mais tudo o que é simplesmente complicado. E há cada um! Nas aulas complicavam. Quando íamos beber um copo complicavam. Quando queremos ficar calados, estas pessoas são bem capazes de falar palavras sem interesse, só para complicar. Tudo é uma complicação. Simplificar é complicar para eles. Um qualquer atadinho vos vai dizer que apenas o acto da penetração é complicado. Não há paciência para estes.

C) Há os que complicam só por serem normais. Podiam ser assustadoramente perfeitinhos. Peito rijo, coxas firmes, olhos bonitos, tudo no sítio. Podiam ser obesos e peludos. Nariz grande, pila pequena, cu descaído ou mamas deformadas e feias. Até deformadamente altos. Ou então minúsculos em concorrência directa com os 7 anões. Podiam ter um QI muito acima da média, a roçar a supra-inteligência e demonstrarem-no constante e arrogantemente. Ou ser uns paralelos com cabeça. Mas não. Tinham de complicar e ser normais!

D) Pais. As crianças podem ser uma complicação tão grande. E para começar nem sabemos como somos capazes de as criar. Nasceram e foi porque estávamos distraídos! Queremos nós voar e não podemos porque não há quem fique de guarda à gaiola onde as prendemos. E nem pensar em deixa-las sozinhas. O mais certo era chegarmos e em vez da casa encontrarmos uma cratera. Quantas vezes não vos apeteceu atirá-los janela fora? Mas achamos que dá prisão…

E) “Este fim-de-semana não dá. O Benfica joga em casa.” ??!!?? Vamos swingar ou ver futebol? E depois? Sejam criativos. Convidem-nos para ir ver o jogo também. Depois vamos comer qualquer coisa, leve! Até podemos ir dançar um bocadinho e beber qualquer coisa a um qualquer bar. E depois podemos ir comer outras coisas a vossa casa ou a um motel…

F) Não queremos foder com vocês. É assim tão complicado dizer ou escrever? Não compliquem. Quem levar a mal é complicado, não interessa!

G) Quanto ao asseio não há conversa!

 

 

3ª Parte – A Descomplicação.

A) Deixem-se de frescuras. Mesmo que não vos apeteça, que não os achem lá grande coisa como pessoas ou apenas corpos (lá estamos nós a complicar). Que não possam porque vos apetece sair apenas os dois ou porque nem todos têm dinheiro para queimar - por causa das contas da luz, da água, da gasolina, do telefone, da alimentação, do gás, da roupa dos miúdos, da televisão, dos livros… esperem lá! Dos Livros? Isto é já complicar demais! Dizia: mesmo que não queiram ou não possam nunca recusem um convite swinger. Isso é complicar.

B) Deixem de ser “complicadinhos”. Passou de moda. Isso é retro em demasia. Estão a ver aquelas camisas de golas enormes? É giro nas fotos antigas!

C) A ideia é de 4 ou mais corpos trocarem caricias, beijos, darem e receberem prazer em toques ou movimentos sem ritmo ou ritmados. Não vão fazer nenhum concurso de miss mundo, ou programa de “peso pesado”, ou entreter com cultura geral. Ok. Pode até ser muito sexy, enquanto nos beijam (!!!!) o sexo, lembrarmo-nos de fazer perguntas de cultura geral e dar-mos 4 alternativas ou 3 ajudas – fazer uma chamada a um amigo (!!!!), perguntar ao publico (!!!!), ou saltar a pergunta.

D) Desistam se forem normais, física e intelectualmente. O swing só vingará com pessoas perfeitas. O corpo tem de estar tonificado e o QI tem de ser anormalmente gigante (assim como o sexo masculino e os seios femininos). Isto, porque já se sabe, pessoas inteligentes impossibilitam uma conversa normal, porque não percebemos a conversa. E um peito musculado e cara perfeita ou um decote generoso e boca maliciosa fazem babar.

E) Se tiverem filhos livrem-se deles. Temos a desculpa de ser um país cada vez mais perto do subdesenvolvimento, logo, tentem vende-los a casais ricos em países desenvolvidos. Ficam livres para bacanais e ainda ganham umas coroas. Em última hipótese deixem de pagar a casa e gastem esse dinheiro em baby-sitters. Os bancos já têm muito e não querem mais casas. Por outro lado darmos trabalho a outras pessoas é ajudar o país!

F) Qualquer tipo de desculpa é indesculpável. Swingar deve estar à frente de tudo. Da família, dos amigos, da profissão (claro), até de nós mesmos. Se ouvirem a notícia de que um grande asteróide vem de encontro ao nosso planeta, lembrem-se: se não tiverem ideia para a construção de tecnologia que o dizime antes de destruir toda a vida, vão swingar!

G) Quanto ao asseio não há mesmo conversa!

 

Nota final:

1 – Um casal são dois. São duas pessoas. Duas cabeças e duas personalidades. Neste mundinho a ideia é juntarem-se mais duas (ou mais) para a maluquice. Ninguém quer namorar com ninguém, no entanto a ideia é partilharem-se momentos de alguma intimidade. São dois mundos diferentes que já se aprenderam a respeitar (em principio) e que se vão juntar a mais dois, quatro, seis, oito… e com isso descobrir outros novos mundos. O que se procura é essa aparentemente impossibilidade de se descobrirem novos níveis, como casal e como pessoas. Do outro lado do jogo estarão outras pessoas e essa é a magia: dos novos mundos descobrirmos vida.

2 - Somos um casal quase jovem. Já nos perdemos na qualificação de juventude. Com vinte e cinco anos achávamos uma pessoa com quarenta a caminho da velhice. Hoje com 40 temos a certeza de que há muito boa gente com 25 mais velha do que nós. Física e intelectualmente!

3 – O que foi escrito no ponto um serve para agora. Num casal o equilíbrio é construído pela soma do trabalho dos dois. Achamo-nos um casal comunicativo e extrovertido. Um mais que o outro. Ou temos momentos. Tentamos ser equilibrados, mas vamos lá ser honestos: somos gente que coloca a hipótese de ter sexo oral com outros… isto não é lá muito equilibrado!

4 – Achamo-nos simpáticos. Até muito simpáticos. Se não nos acharem simpáticos é porque não queremos sê-lo!

5 – A questão que surgiu neste estudo a respeito do asseio (que entendemos como higiene) é uma questão de inteligência e nem deveria ser colocada.

6 – Temos filhos. São o que possuímos de mais importante. Não há nada que se sobreponha ao tempo que nos merecem.

7 – Existe vida para além do swing. Há cinema, música, teatro, exposições de pintura, visitas familiares, de amigos que nem sonham que nos despimos em frente a desconhecidos. Não falta o que fazer. Falta é tempo para tudo o que gostamos.

8 – Achamo-nos ainda, um casal (aparentemente) normal. Não somos magros. Não somos gordos. Não somos musculados nem “descaídos”! Não somos lá muito inteligentes, mas sabemos a raiz quadrada de 16. Gostamos de uma boa conversa, de humor inteligente, gostamos muito de sorrisos e simpatia. Mas não gostamos da normalidade…

anjos_azuis 13.02.2013 8
Comments
Order by:
Per page:
 
  •  CasalMusty: 
     
    Um texto sublime, com: interesse, sentido de humor e acima de tudo muito congruente. Parabéns!!!!
     
     28.09.2017 
    0 points
     
  •  CasalSimplex: 
     
    Parabéns pelo pelo texto! Não há duvidas que são descomplicado (ou simplex), com 25 anos de espírito e sobretudo... asseados :-)
     
     26.01.2017 
    0 points
     
  •  casalweb: 
     
    sim concordamos com o descreveram em cima,pouco tempo entramos sw penso que cada vez que encontro um casal temos tido sorte Gente 1000 estrelas mas aqui na net santo Deus bastante complicado beijinhos a todos
     
     25.02.2014 
    0 points
     
  •  Nuno_Ana: 
     
    -4 ou 4 :) de resto concordamos com tudo! E sim, há muita coisa lá fora, e eles "andem" aí... :)
     
     28.02.2013 
    0 points
     
  •  asvezes: 
     
    Muito bom!!
    Não estamos é a ver motivo para se meter a matemática complexa no meio disto... Basta saber somar de 2 em 2... ahahah
     
     23.02.2013 
    0 points
     
1
Post info
flag anjos_azuis

Amarante

 47  46
13.02.2013 (2410 days ago)
Rate
6 votes
Actions
Categories
Entertainment Blogs (5 posts)